qui. dez 3rd, 2020

Nerd Fusão

Seu guia de sobrevivência no apocalipse Nerd

O melhor dos anos 80, uma década, uma revolução cultural: Parte 1, 1980

4 min read

Parte 1 1980

O Nerdstark resolveu trazer aos seus leitores um especial com o melhor da cultura pop dos anos 80. A partir de hoje serão 10 artigos falando ano a ano um filme, uma musica e um quadrinho que de alguma forma revolucionou aquele ano em específico e começaremos do principio mesmo, então, vamos a 1980. E como já foi falado em Futurama mesmo no ano 3000 só houve um anos 80.

Cinema: Em 1980 tivemos grandes clássicos como, por exemplo, Em Algum Lugar do Passado, Halloween, A Lagoa Azul, Sexta Feira 13, O Iluminado e A Vida de Brian, mas vamos nos concentrar em Star Wars: Episodio V O Império Contra Ataca.

O Império Contra Ataca, como foi lançado na época foi um dos filmes mais marcantes da saga Star Wars, mas não vamos focar nas cenas icônicas como “Luke, eu sou seu pai” vamos falar do impacto na sociedade em sua época. Por mais que fosse uma epopeia espacial era um reflexo da sociedade na época onde os “Vilões Imperiais” caçavam e massacravam, a “Justa Republica” extinta há anos sobrando apenas os rebeldes lutadores da liberdade. Notou algo semelhante à política internacional da época?

Pois bem, O Império Galáctico poderia ser facilmente comparado aos Soviéticos e seu tirano comunismo, enquanto os rebeldes lutadores da liberdade poderiam ser facilmente comparados aos Americanos, que lutavam contra essa tirania, montando pequenos exércitos quase milícias principalmente no Oriente Médio, a personificação de bem e mal sempre teve esse tom, durante os anos 80 e ainda havia uma intensa corrida espacial entre as duas nações então situar uma metáfora desse conflito em uma aventura espacial não poderia ser algo mais adequado.

Darth Vader é considerado o maior vilão do cinema
Darth Vader é considerado o maior vilão do cinema

Musica: nesse ano tivemos alguns clássicos que perduram até os dias de hoje como Rock With You (Michael Jackson), Crazy Little Thing Called Love (Queen), Coming Up (Paul McCartney), Lost in Love (Air Suplly), Let My Love Open The Door (Pete Townshend) e Escape-The Pina Colada Song (Rupert Holmes – e tema de Guardiões da Galáxia), desta vez escolho Another Brick in The Wall (Pink Floyd).

Another Brick in The Wall, foi divida em três partes, todas criticando o ensino na primeira parte fala do descaso dos pais, na segunda a rigidez e os castigos físicos na escola e em sua terceira parte as consequências que isso refletia em sua sociedade.

A musica se tornou muito maior do que uma simples musica, ela gerou discussões, sobre a educação e sociedade e além de ser uma das turnês mais polemicas da banda onde durante o show era erguida uma parede entre a banda e o publico, segundo Roger Walters isso ilustrava a distancia entre as pessoas, mas segundo algumas interpretações particulares de alguns intelectuais da época esse muro era um protesto ao Muro de Berlin, também chamado de Muro da vergonha, bem teorias a parte essa musica consolidou a carreira da banda e levou a banda a um patamar alcançado por poucos.

Quadrinhos: Em 1980 os quadrinhos estavam no auge da Era de Bronze, história mais maduras e realistas invadiam as paginas e avançou pelos anos 80 deixando as histórias cada vez mais sombrias. Considerado um marco pra o inicio de uma era tão sombria e realista foi em 1973 uma História intitulada A noite em que “Gwen Stacy morreu”, do Homem Aranha, chocando a todos e marcando o fim da inocência.

Entrando na maturidade e realismo, vamos até um dos heróis mais urbanos da Marvel o Demolidor, na época escrita por Roger McKenzie e desenhada por Frank Miller, à história é Revelação lançada nos Estados Unidos em Daredevil #164 e no Brasil em Superaventuras Marvel #3. Após um confronto com Hulk que quase matou o Demolidor, acabaram todas as duvidas do Jornalista Ben Urich, Matt Murdock é o Demolidor juntando suas evidencias ele vai confrontar O Homem Sem Medo que se encontra internado, após certa relutância ele acaba confessando e contando sua história e a de seu pai, é uma história urbana sem nada de absolutamente fantástico apenas o dia a dia em um bairro de Nova York, mas rica em detalhes e magicamente ilustrada pelos traços fortes de Frank Miller que já começava há mostrar um pouco como era a sua visão do Herói que em menos de um ano depois ele começaria a escrever também.

Daredevil #164
Daredevil #164

Chegamos ao final da primeira parte, comente ai suas impressões sobre o artigo, suas impressões do anos de 1980 e acrescente com algo marcante, será um prazer ler todos os comentários!

[userpro template=view user=charlieborba max_width=100%]

André Pacheco Administrator
Head of Content , Nerd Fusão
Aqui é Nerd Fusão!
follow me

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *